9.10.05

Aliás

Peguei a dica para o site indicado abaixo (Cadeia das Palavras) na última coluna do Mario Sergio Conti, no NoMínimo. Entratanto, gostaria de comentar, rapidamente, sua coluna anterior a esta, uma crítica contundente e arrogante a blogs e basicamente a qualquer forma de comunicação na Internet: lamentável, principalmente vindo de um jornalista.

O Mario Sergio Conti, para quem não se lembra, é o autor daquele livro Notícias do Planalto, ex-editor da Veja. Não sei maiores detalhes sobre sua vida, mas até recentemente vivia em Paris. Pois suas colunas transparecem justamente aquela arrogância que comumente se atribui aos franceses, sobretudo aos parisienses. Querer generalizar comunicação na Internet é o cúmulo da ignorância moderna. Eu até entendi a que ele se referia, mas sua falta de sensibilidade para perceber as mudanças nos padrões de comunicação é latente, se é que vocês me entendem. Exemplo disso foi seu comentário em reação à enxurrada de críticas que recebeu pela tal coluna: "Continuarei a usar a Internet para pesquisas rápidas e para ler jornais franceses". Renove-se, meu caro!

Cadeia das Palavras

Um domingo em casa pode render descobertas interessantes na Internet. Como o site Cadeia das Palavras. Trata-se de um exercício literário onde cada pessoa escreve um capítulo de uma história. Detalhe: cada capítulo deve ser escrito somente com palavras começadas com uma letra do alfabeto. Impossível? Vale uma visita.

3.10.05

Zveiter, o Coronel do futebol

Luiz Zveiter e o "seu" STJD representam um Brasil retrógado, paternalista, autoritário, antigo e, infelizmente, muito atual.

A maneira como conduz o tribunal é lamentável. Ele personifica o órgão e toma decisões arbitrárias, infundadas, é inexplicável. Tamanho é o absurdo que anunciou a anulação dos 11 jogos num domingo de manhã no quintal de sua casa, em Niterói.

Obviamente a decisão não foi fundamentada. O que importava era aparecer e dar uma solução rápida ao caso.

O Sr. Zveiter tem a terrível mania de ir à televisão e julgar fatos e jogos antes mesmo de serem levados ao tribunal. É um tremendo dum pavão. Habitué dos programas esportivos de domingo à noite, principalmente o do Milton Neves (outro cidadão lamentável). E fala cada dia uma coisa, causando uma tremenda confusão.

Fora isso, a decisão de anular os 11 jogos me parece absurda e precipitada. O bom senso pede que cada caso seja analisado isolada e detalhadamente, com calma, e que um órgão colegiado, ou mesmo um juiz, profira uma decisão fundamentada.

Enfim, este campeonato perdeu totalmente a credibilidade. Quem cair vai apelar para a Justiça Comum. Quem não for campeão e se sentir prejudicado pela decisão do STJD também deve seguir o mesmo caminho. Os torcedores para sempre contestarão o resultado do campeonato. Enfim, uma bagunça.

1.10.05

Pitacos Armados

- Referendo: alguém sabe se se deve votar SIM pela comercialização ou pela proibição da comercialização de armas de fogo? Já estou imaginando a confusão que vai ser no dia. Muita gente vai marcar um voto desejando outro. Boa sorte àqueles bem-aventurados, como este que vos escreve, que terão o prazer de servir à pátria e trabalhar no dia do pleito.

- A nossa querida revista Veja iniciou hoje a campanha - panfletária - contra a proibição da comercialização. Eu não esperava uma tomada de posição tão clara. De qualquer maneira, a capa de hoje deve marcar o início do aumento da intensidade dos debates sobre o referendo, até agora muito contestado mas com seu mérito pouco discutido, com a exceção de alguns e-mails falaciosos que circulam pela rede defendendo um e outro lados.